Maria Teresa Horta

Ondula mansamente a tua lingua
de saliva tirando
toda a roupa...

já breves vêm os dias
dentro de noites já
poucas.

Que resta do nosso
gozo
se parares de me beijar?

Oh meu amor...
devagar...
até que eu fique louca!

Depois... não vejas o mar
afogado em minha
boca!

Fonte: http://rabisqueitudo.zip.net/

Ciranda, cirandinha, vamos todos cirandar
 
Lésbicas adoram namorar ex das amigas
 


Ela é deslumbrante: inteligente, simpática, agradável, perfeita. Os encontros estão fluindo maravilhosamente bem.

Um jantar, um cinema, um vinho sábado à noite. Você segura, sente que já está na hora de apresentá-la aos amigos.

Aproveitam um aniversário para reunir a turma e oficializar a relação (é sempre mais gostoso quando os amigos aprovam uma nova namorada). Você entra, toda orgulhosa, peito cheio, trazendo sua namorada pelas mãos (na verdade você está tão ansiosa que quase a arrasta bar adentro).

Todos a cumprimentam com sorrisos, abraços e boas vindas. Algum tempo depois chega uma amiga que você não vê há meses. Ela e sua namorada se olham e todos percebem a "saia justa" que se instala no ar. Ou melhor, "saia-justa" não, uma mini-saia de cottom, tamanho pp em uma manequim 52. Elas são ex-namoradas.

Passado o choque, todas sentam e conversam animadamente sobre amenidades, enquanto os ânimos se acalmam. Vez ou outra somos surpreendidas pelo fato de estarmos namorando alguma ex-namorada de uma amiga, afinal o universo gay não é tão extenso assim, principalmente em cidades menores, mas, em alguns grupos, isso é quase doentio.

Todas são "ex" umas das outras. Pior que isso: elas compartilham as intimidades de outros relacionamentos com as namoradas, ou seja, em um dado momento, todo mundo da turma saberá que você tem fetiche por calcinha da Hello Kitty. Humilhante, não?

Há que se tomar muito cuidado para não se cair nesta ciranda de relacionamentos que se cria quando passamos a conviver muito tempo com um só grupo de amigas.

É certo que é impossível evitar uma atração retumbante por uma amiga (às vezes não precisa nem retumbar, basta uma batuquezinho para nos deixar de pernas bambas), mas preservar-se também tem que ter espaço em nossas vidas. Talvez a alternativa seja ampliar seus contatos, fazer novos amigos, conhecer novas pessoas. Há sempre alguém diferente esperando por um grande amor.

Ao invés da "ciranda-cirandinha" com suas amigas, parta para um "uni duni tê" com aquela garota que você conheceu na Internet e que não tem ligação nenhuma com qualquer pessoa conhecida. Assim, além de não correr o risco de descobrir que ela é ex-namorada de alguma amiga, a calcinha da Hello Kitty será uma grande novidade.

  

Calendário de Paradas Gays 2006

04/05 - Porto Alegre/RS
04/05 - São Gonçalo/ RJ
02/05-  Teresina/ PI
11/06 - Macaé/ RJ
11/06 -  Delmiro Gouveia/AL
17/06  - São Paulo/SP
24/06 - Nova Iguaçu/RJ
25/06- Brasília/ DF
25/06-  Palmas/TO
25/06 - Niterói/ RJ
25/06 - Fortaleza/ CE
30/06 - Olinda/ PE
30/06 - Uberaba/ MG
02/07 - Goiânia/GO
02/07 - Curitiba/ PR
02/07 - Rio de Janeiro/RJ
09/07 - Florianópolis/SC
09/07-  Caldas Novas/GO
16/07 - Alfenas/MG
16/07 - Ceres/GO
16/07 - Alfenas/MG
16/07 - Belo Horizonte/MG
23/07 - Jatai/Go
23/07 - Feira de Santana/BA
23/07 - Uberlândia/ MG
30/07 - Anápolis/ GO
30/07 - Uberaba/MG
30/07 - Aracaju/SE
10/08 - Arapiracara/AL
13/08 - Camaçari/ BA
13/08 - Simões Filho/AL
16/08  -Lagarto/SE
19/08 - Juiz de Fora/MG
19/08 - Quirinópolis/GO
20/08 - Colatina/ES
26/08 - Itabuna/ BA
27/08 - Belém/ PA
27/08 - Valparaiso/GO
01/09 - Recife /PE
03/09 - Salvador/ BA
03/09 - Coruripe/AL
06/09 - Cabo Santo Agostinho/PE
08/09 - Vitória/ES
10/09 - Boa Vista/RR
15/09 - Rondonópolis/MT
16/09 - Lagarto/ SE
24/09 - Manaus - AM
24/09 - Santo André/SP
17/12 - Nazaré/BA

Flor do destino 23:36:15
fala com Flor do destino
No fadário que é meu, neste penar, Noite alta, noite escura, noite morta, Sou o vento que geme e quer entrar, Sou o vento que vai bater-te à porta... Vivo longe de ti, mas que me importa? Se eu já não vivo em mim! Ando a vaguear Em roda à tua casa, a procurar Beber-te a voz, apaixonada, absorta! Estou junto de ti e não me vês... Quantas vezes no livro que tu lês Meu olhar se poisou e se perdeu! Trago-te como um filho nos meus braços! E na tua casa..Escuta!..Uns leves passos..Silêncio, meu Amor!... Abre! Sou eu!...
 

Goldfish Memory, ou Todas As cores do amor.

''A memória de um peixinho dourado dura só três segundos. Então, depois de uma volta pelo aquário, tudo é novidade. Cada vez que dois peixinhos se vêem, é como se fosse a primeira vez. Assim como nos humanos. Cada nova paixão é como se fosse a primeira. Uma reação química apaga a lembrança da ultima dor de amor, e nos pensamos: puxa isso é maravilhoso, é novo, é diferente.''

Me disseram que o filme era gay. Não achei. Pra mim o filme não falou de homossexualidade, falou de amor. Falou mais. Falou da busca incondicional pela felicidade, presente em cada um dos personagens. A citação acima introduz o filme e resume seu enredo. Há personagens lésbicas, gays, bissexuais, heteros, mas em nenhum momento a orientação sexual é destaque no filme. O trama vai se desenrolando mostrando vários relacionamentos se fazendo e se desfazendo como uma busca circular pela paixão. Eh muito bom! E para tornar o filme ainda mais atrativo, ele esta temperado com boas doses de humor e musica brasileira! Sim, musica brasileira (Tom Jobim) num filme irlandês.

Fim da primeira temporada de The L Word 

Terminou, entre traições, revelações e lágrimas, a primeira temporada da série The L Word no Brasil. Infelizmente a Warner Channel afirma que só exibirá a segunda temporada lá por março ou abril de 2006. Fãs da série prometem fazer pressão para que a segunda temporada passe antes desta data longínqua. Quem quiser ajudar, deve se cadastrar na página de fãs do site, procurar o The L Word http://fans.warnerchannel.net/idioma.php e começar a exigir a segunda temporada JÁ.

Livros Lésbicos em Português

Beatriz e os Corpos Celestes

Lucia Etchebarria
(1998)
Lisboa: Editorial Notícias

Três mulheres: Cat, lésbica assumida, Mónica, devoradora de homens compulsiva, e Beatriz, que acredita que o amor não tem género. Um romance sobre os labirintos do amor, numa linguagem tecida de erotismo e poesia. Este livro foi galardoado com o Prémio Nadal de 1998, o mais antigo e um dos mais prestigiados das letras espanholas.

O Bosque da Noite

Djuna Barnes
(1987)
Lisboa: Relógio d'Água

Escrito numa linguagem complexa e poética, o Bosque da Noite é um romance obsessivo sobre os aspectos demoníacos e destrutivos do amor. Conta a história de uma bela jovem, Robin Vote, e de Nora e Jenny, as duas mulheres que a desejam e que são, eventualmente, destruídas pelas suas paixões.

Os Caminhos da Paixão

Jeanette Winterson
(1991)
Lisboa: Quetzal editores

Um romance sobre Henri, um soldado nas guerras napoleónicas, e Villanelle, uma rapariga de Veneza que ama sem esperança uma mulher casada. O título do livro reflecte sobre as diversas paixões dos seus personagens. Os franceses têm uma paixão por Napoleão, paixão essa tão grande que morrem para lhe agradar. Há a paixão de Napoleão por frangos, que leva Henri (que tem uma paixão por Napoleão) à sua presença. Villanelle tem uma paixão pelos mistérios da sua cidade, pelo jogo e pela mulher misteriosa que lhe roubou o coração. E eventualmente Winterson trata da paixão de Henri por Villanelle.

A cor púrpura

Alice Walker
(1986)
Lisboa: Editorial Teorema

Vencedor do Prémio Pulitzer em 1983. Um romance feminista sobre a força e dignidade do espírito humano. Violada pelo seu pai e dada a um homem abusador, mais como escrava do que como esposa, separada do seu filho e depois da sua irmã, a vida de Celie modifica-se quando se apaixona pela amante do marido.

Duas Mulheres

Harry Mulisch
(1999)
Lisboa: Editorial Teorema

Laura, a narradora, acaba de perder a mãe e, enquanto se dirige de automóvel a Nice para o funeral, vai passando mentalmente em revista os últimos acontecimentos da sua vida: o primeiro encontro, após o seu divórcio, com Sílvia a intensidade desta relação a interferência de Alfred, seu ex-marido a violenta reação da sua mãe ao aperceber-se de que a filha mantém uma relação lésbica e a reacção, ainda mais desconcertante, dos seus amigos. Recebera a notícia da morte da sua mãe com resignação, porque uma tragédia ainda maior e mais próxima, ocupa os seus sentimentos...

Duas senhoras bem comportadas

Jane Bowles
(1987)
Lisboa: Editorial Presença

A aventureira Miss Christina Goering e a nervosa Mrs Copperfield vão para o estrangeiro em busca de liberdade e autonomia. Miss Goering é uma solteirona respeitável ligada à religião que decide encontrar a sua salvação em bares a engatar homens de negócios, enquanto que a sua amiga, a igualmente respeitável Mrs Copperfield, viaja para o Panamá com o seu marido de onde regressa com uma prostituta de 17 anos, Pacifica, perdendo aparentemente o seu marido no bairro de prostituição de Colón.

As horas

Michael Cunningham
(1999)
Lisboa: Gradiva

Nova Iorque no final do século XX. Londres em 1923. Los Angeles em 1949. Três mulheres, três histórias ligadas por um jogo subtil de correspondências, cuja relação comovente só será revelada nas últimas páginas.

Inscrito no Corpo

Jeanette Winterson
Editora Rocco (Brasil)
167 pgs

"Porque é que a perda é uma medida do amor?" Assim começa um livro brilhante em que uma das grandes escritoras lésbicas do nosso tempo, conta uma bela história de amor numa linguagem poética.

A Linguagem Perdida dos Guindastes

David Leavitt
(1986)
Lisboa: Editorial Presença

Rose e Benjamim vivem há vinte anos num apartamento em Manhattan, onde criaram um filho comum, Phillip. De repente vêem-se simultaneamente confrontados com a ameaça de serem desalojados e com a revelação da homossexualidade do filho. Phillip luta pela sua realização amorosa e quer ser reconhecido e aceite pelos pais. Mas a sua revelação vai provocar uma verdadeira catástrofe familiar - para o pai, também homossexual, trata-se de se assumir, para a mãe são vinte anos de casamento, que são postos em causa. O par Jerene, a negra exótica, e a sua companheira Laura, é a outra face da questão - a vivência da homossexualidade no feminino.

Outras Mulheres

Lisa Alther
(1985)
Lisboa: Editorial Presença

Caroline é uma mulher lésbica de trinta e cinco anos, enfermeira e com dois filhos. A imagem que ela tem de si própria é a de uma mulher forte, corajosa, lutadora, liberta de preconceitos e capaz de enfrentar a vida. Apesar disso, sente-se afundar num estado depressivo que a deixa em pânico. Relutantemente resolve recorrer à psicoterapia.

Os 7 orgasmos de Annie Sprinkle
Quantos tipos você já experimentou?

O anatomista Matteo Colombo foi acusado de heresia, no século 16, só porque escreveu que as mulheres sentiam prazer sexual através de estimulação clitoriana. Colombo descobriu o clitóris quando atendeu uma paciente que sofria de neurose e percebeu que os sintomas estavam relacionados à falta de orgasmos. De início, o médico se assustou quando localizou um pequeno órgão, constantemente ereto e intumescido. Depois de aplicar sessões regulares de massagem sobre aquele pequeno órgão, que culminavam com um orgasmo e uma subseqüente alívio das tensões de sua paciente, Colombo concluiu que o clitóris era o responsável pelo gozo feminino. Mais: descobriu também que, se o gozo não fosse liberado com alguma regularidade, o corpo poderia adoentar-se.

Séculos depois, Freud contribuiu para o empobrecimento da vida sexual das mulheres afirmando que o gozo clitoriano era infantil e o vaginal, maduro. Foram necessárias algumas décadas para que esse mito fosse detonado. Só depois do relatório Kinsey as mulheres puderam conferir o que já sabiam: o clitóris tem participação ativa no gozo feminino. Descobertas anatômicas subseqüentes confirmaram que a vagina é pobre em terminações nervosas e estas se localizam apenas no primeiro terço do canal vaginal.

Todo esse silêncio sobre a sexualidade feminina gerou mitos e suposições que afastam as mulheres de seu próprio corpo. Uma das pessoas que mais têm batalhado pela livre expressão da sexualidade feminina é a artista e pornógrafa Annie Sprinkle. Num dos seus artigos, ela lista 7 tipos de orgasmos femininos:

1. Sonhorgasmo - a garota goza em sonho, acorda gozando ou goza, simultaneamente, em sonho e nos lençóis.

2. Microrgasmos - são orgasmos leves, que ocorrem sem nenhuma estimulação externa, quase a nível celular. Esse orgasmo pode ser alcançado através da erotização de gestos e atos simples. Sprinkle afirma que até um mero espirro, um passeio no parque ou a visão de uma flor pode leva-la a um microrgasmo.

3. Orgasmo intravaginal - esse é o gozo que ocorre dentro da vagina, através de estimulação peniana, digital, do pulso ou de dildos. O orgasmo pode vir da estimulação do ponto G (em contato com a parede da uretra, onde há tecido erétil, fartamente enervado) ou do colo cervical quando estimulado por “fist fucking” (penetração com o pulso).

4. Orgasmo energético - é aquele alcançado através de várias técnicas de meditação, com origem no Yoga (orgasmo kundalini) ou sexo tântrico, por exemplo. Sprinkle também coloca nesta categoria orgasmos aparentemente involuntários, como os que ocorrem durante um acesso de riso ou um momento de medo (como acontecia com alguns soldados do Vietnã, segundo relatos transmitidos a ela).

5. Orgasmo clitoriano - acontece depois da estimulação clitoriana. É o tipo de gozo mais conhecido das mulheres quando se masturbam, embora muitos homens insistam em ir direto ao pote vaginal sem passar antes pela varinha mágica.

6. Orgasmos combinados - Sprinkle afirma que, geralmente, esses orgasmos listados acima acontecem em combinação, ocorrendo dois, três ou quatro tipos, simultaneamente ou em seqüência.

7. Megaorgasmos - Sprinkle diz que esse é “o tsunami dos orgasmos”. O megaorgasmo é uma experiência intensa, física, emocional e espiritual, ao mesmo tempo. Sua duração é longa (a própria Annie, em seu vídeo “Putas e Deusas”, é protagonista de um megaorgasmo de 5 minutos de duração!) e é geralmente alcançado após múltiplas estimulações que, segundo Sprinkle, “vão além do ato de fazer amor”, exigindo uma ”completa entrega e estimulação massiva dos genitais”.

E você, já experimentou todos estes sete tipos listados? Existem mais tipos?


Flor do destino 20:42:42
Em meio a sussurros e gemidos Abandono minhas roupas a caírem ao chão Sua língua percorre meus seios Um calor intenso invade meu corpo Num gemido lhe ordeno Quero ser tua! Como se obedecesses a uma ordem Prontamente tuas carícias se tornam ousadas Tua boca move-se devagar entre minhas coxas Deixando seu doce hálito Invadir meu ventre Numa louca insensatez eu lhe peço Faça-me tua! E numa submissão dócil e gentil Abriga-me em seus braços Perpetrando em meu corpo tua morada. Abandonando meu corpo a descoberto Em anseios de outra vez ser tua por inteiro Em meio a teus beijos Novamente lhe solicito Faça-me tua!SUSSURROS E GEMIDOS

Warner Channel traz a série lésbica The L Word ao Brasil.

 

The L Word, sucesso incontestável nos EUA, estreará no Brasil. A série mostra a intimidade, conflitos e amores vivenciados por um grupo de lésbicas na cidade de Los Angeles. Mesmo sem ser exibida no Brasil, a série possui fãs ardorosas que assistem aos capítulos através da internet. Há comunidades no Orkut sobre o The L Word e sites brasileiros dedicados exclusivamente a seus personagens.

E a Warnner anunciou  a vinda da primeira temporada ao Brasil, que estréia na nova programação do canal em julho junto das séries 'The Swan', 'Kevin Hill' e 'Eyes'. A assessoria da Warnner no Brasil confirmou que a segunda temporada já foi comprada e que a terceira (que ainda nem foi lançada nos EUA) já está na mira.

[ ver mensagens anteriores ]